Arquivo de tag 30 anos de construção a seco

porblogartesana

Saiba mais sobre Lã de Pet

Por Marketing Artesana

Não é novidade que a construção a seco é sem dúvida a solução mais em viável e sustentável para o meio ambiente. A Artesana em seus 30 anos de mercado mantem a preocupação de fornecer ao mercado soluções construtivas com grande desempenho acústico e que não prejudiquem o meio ambiente.

Pensando nisso, adicionamos em nosso portfólio de produtos a  Lã de PET ISOSOFT® WALL que pertence a família ISOSOFT da Trisoft, desenvolvida especialmente para isolamento térmico e isolamento acústico em sistemas drywall de paredes com placas de gesso / cimentícia e construções a seco em steel frame e wood frame. É ecologicamente correta, reciclada e totalmente reciclável. Isola os ruídos entre os ambientes internos e proporciona melhor conforto térmico entre unidades residenciais e comerciais.

Características da lã de Pet

  • Lã de Poliéster Tereftalato  (PET);
  • Propriedade térmica e acústica;
  • Produto extremamente leve;
  • Não possui adição de resinas em sua composição;
  • Agradável ao toque;
  • Anti mofo, não prolifera fungos e bactérias;
  • Produto reciclado e reciclável;
  • Resistente a umidade;
  • Sustentável – a cada m2 de lã de pet Isosoft consome aproximadamente 30 a 50 garrafas pet;
  • Classificação IIA – Norma NBR IT10 do Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo;
  • Fácil aplicação em sistemas de construção a seco;
  • Alta resistência mecânica;
  • Não decanta com a vibração das estruturas;
  • Não empena ou deforma com o passar do tempo;

Dados técnicos sobre performance acústica:

A Lã de Pet deve ser aplicada de modo que que preencha totalmente o vão da parede. O Isolamento dos ruídos entre ambientes é perfeito, podendo inclusive superar o desempenho da construção tradicional, conforme ilustrado abaixo:

Performance

08

Orientações de instalação:

  1. Fixar os perfis metálicos no piso e no teto. As barras verticais devem ser fixadas  sempre conforme orientação técnica do fornecedor do sistema de paredes de drywall. Colocar e fixar em um dos lados as placas de gesso acartonado.

02

     2. Estender a Lã de PET ISOSOFT Wall começando pelo teto acomodando as bordas de modo que fiquem encaixadas     nos perfis laterais.

03

3. Para o correto encaixe e desempenho acústico, é indicado utilizar a Lã de PET ISOSOFT WALL na mesma espessura dos montantes metálicos.

04

4. Instalar as placas de gesso fechando a parede de maneira que as junções das placas fiquem desencontradas entre um lado da parede e o outro.

05

Agora você deve estar se perguntando,  e qual a vantagem de usar a Lã de Pet? Ao invés da lã de vidro ou rocha? Simples ao comparar esses três tipos de produtos, fique atento ao resultado de cada um, pois o que importa não é somente a densidade, mas a performance e os coeficientes de absorção acústica e resistência térmica.

Devido à matéria-prima principal ser rocha e vidro, essas mantas são muito mais pesadas do que a de pet. A densidade é o peso por m³ e elas são duas a três a vezes mais densas/pesadas do que a Lã de Pet ISOSOFT. Portanto, compare sempre a performance.

ISOSOFT proporciona excelentes resultados de isolamento térmico e isolamento acústico, é muito mais leve e reduz os custos de transporte, pois pode ser compactado sem perder suas características originais, pois tem alto índice de resiliência.

Por ser hipoalergênico, diminui o tempo de aplicação e o custo com EPI´s, deixando a obra mais limpa, mais rápida e mais barata. O instalador trabalha muito mais confortável e sem riscos à saúde, evitando também ações trabalhistas por insalubridade, além de garantir a qualidade de vida dos futuros ocupantes do imóvel.

Quer conhecer saber mais sobre como adquirir este produto? Entre em contato com a nossa equipe comercial ou acesse nosso site: www.artesana.com.br

Até a próxima !

Fonte:
http://www.trisoft.com.br/blog/
porblogartesana

Dica Artesana: Como comprar equipamentos de proteção individual

Por Camila Marques

Sabemos que em uma obra podem existir vários tipos de produtos para proteção do trabalhador, que vão de simples capacetes, a cintos e vestuário especifico. Só de luvas há nove tipologias citadas na NR-6, que é a norma técnica que define os equipamentos de proteção individual. O engenheiro de segurança do trabalho deve verificar se as características técnicas e o uso a que o EPI se destina são adequados ao grau de exposição da atividade aos indivíduos que irão utilizá- los e ao meio ambiente.

O produto deve possuir número do CA (Certificado de Aprovação) gravado, e o fabricante, Cartão de Registro atualizado e emitido pelo Ministério do Trabalho e Emprego.

Confira abaixo alguns equipamentos de proteção individual mais utilizados e como comprá-los.

Proteção da cabeça e do Sistema Respiratório:

Capacete

Quem usa?
Todos os trabalhadores da obra e visitantes.

Para que serve?
Para proteção da cabeça contra impacto de queda de materiais e ferramentas.

Como escolher?
O capacete deve ser do tipo meia-aba, com alça de ajuste. Os fabricantes oferecem capacetes em tamanho único. Daí a importância da regulagem ser fácil. Os capacetes podem ser de classe A (quando não se aplicam a trabalhos com energia elétrica) e classe B (quando se aplicam a trabalhos com energia elétrica).
Dicas de uso
» Ajuste-o bem à cabeça para não sentir dores
» Nunca guarde objetos entre a suspensão do capacete e o casco
» Quando necessário, os capacetes devem acoplar protetor facial (foto).

» Nunca guarde objetos entre a suspensão do capacete e o casco
» Quando necessário, os capacetes devem acoplar protetor facial.

Equipamentos_de_ Protecao(3)

Óculos de proteção

Quem usa?
Trabalhadores sujeitos a contato com estilhaços, sólidos em suspensão e poeiras.
Para que servem?
Para proteger os olhos do trabalhador.
Como escolher?
Os óculos são especificados de acordo com o tipo de risco e protegem contra impacto de materiais sólidos perfurantes, poeiras, materiais químicos, radiação e serviços de solda. Há dois modelos de óculos de segurança mais comuns para construção: óculos contra impactos e óculos panorâmicos. Os melhores produtos são aqueles com lentes antiembaçantes e armação que pode ser dobrada nas laterais, tornando fáceis de serem guardados no bolso. Todas as lentes especiais devem ter a marcação “S”. No caso de lentes fotocromáticas a marcação “V” é obrigatória.
Dicas de uso
» Para funcionar direito, é fundamental que os óculos estejam bem adaptados ao rosto do trabalhador.

Máscaras e filtros

Quem usa?
Todos os trabalhadores em atividades que envolvam poeiras e materiais que soltem partículas finas, como por exemplo na manipulação de lã de vidro.
Para que servem?
Para evitar a inalação de vapores orgânicos, névoas ou finas partículas tóxicas pelas vias respiratórias.
Como escolher?
A escolha varia de acordo com o tipo de material ao qual o trabalhador estará exposto. Os mais comuns são:
1) máscaras descartáveis para proteção respiratória contra poeiras inertes (foto);
2) máscara descartável contra poeiras incômodas;
3) máscara semifacial com respirador, para contato com produtos químicos, gases e poeira;
4) filtros para proteção contra poeiras químicas finíssimas.

Dicas de uso
» Contra poeiras incômodas recomenda- se o uso da máscara descartável
» Os respiradores podem ser semifaciais (abrangem nariz e boca) ou faciais (nariz, boca e olhos)
» É importante que antes do uso de qualquer tipo de respirador o usuário realize um teste de ajuste de vedação, para evitar falha na selagem
» Máscaras descartáveis, como o próprio nome indica, devem ser descartadas após o uso

Protetores auditivos

Quem usa?
Todos aqueles que trabalham em ambientes onde os ruídos estão acima dos limites de tolerância, ou seja, 85 dB.
Para que servem?
Para evitar que barulhos excessivos prejudiquem o funcionamento dos ouvidos e levem a perdas auditivas.
Como escolher?
Há basicamente dois tipos de protetores auditivos: mais durável (e caro) e o do tipo concha (abafador de ruído) que dispõe de duas conchas almofadadas e um arco flexível, que permite rotação de 360º em torno da cabeça; já o protetor tipo plug, fabricado com espuma, copolímero ou silicone, é bastante utilizado, inserido no ouvido (foto).

Aventais

Quem usa? 
Trabalhadores em atividades que envolvam a manipulação de produtos químicos e abrasivos, cortes, soldagem e armação.
Para que servem?
Para proteger o tórax, o abdômen e parte dos membros inferiores.
Como escolher?
Os aventais podem ser de raspa de couro ou de PVC. Os primeiros são indicados para proteção contra agentes cortantes ou escoriantes. Já os aventais de PVC são apropriados para proteção contra produtos químicos e derivados de petróleo.
Dicas de uso
» Em serviços de soldagem, é importante que o braço e as pernas do usuário estejam protegidos. Caso o avental não tenha mangas, é necessária a utilização também do mangote de raspa para proteção do braço
Coletes refletivos
Quem usa?
Vigias, operadores de empilhadeiras e de gruas.
Para que servem?
Para permitir fácil visualização do trabalhador, sobretudo em operações críticas e que elevam o risco de atropelamentos.
Como escolher?
Podem ser de vários tipos, desde aqueles formados por faixas de tecido com pintura fosforescente (tipo X), até os modelos semelhantes a um blusão. São fornecidos em tamanho único e têm fechamento por velcro.

 

Luvas de proteção

Quem usa?
Todos os trabalhadores, dependendo da atividade em execução.

Para que servem?
Para proteção das mãos, uma das partes do corpo com maior risco de exposição.

Como escolher?

Os principais modelos utilizados na construção civil são:

  • Luvas de látex – oferecem proteção contra agentes que causem ferimentos e em trabalhos com produtos químicos, como ácidos, cimento e diesel
  • Luvas de raspa de couro – utilizada por todos os trabalhadores quando transportam materiais e executam serviços que podem causar ferimentos
  • Luvas de raspa com punho de 7,15 cm e 20 cm – para executar serviços de soldagem e/ou corte a quente, carregamento manual e sempre quando houver riscos de corte e lacerações ao usuário. Indicadas para carpinteiros Luvas de PVC de 1,5 cm, sem forro e punho 7 cm – têm pouca espessura, para permitir bom tato e maleabilidade. Protege o trabalhador durante a preparação de tintas e manipulação de produtos químicos, como cimento e cal. Assim como as luvas de látex, são indicadas para azulejistas, pintores e encanadores, por exemplo

Dicas de uso
» Veja se o tamanho é ideal para a sua mão, utilizando as tabelas existentes na embalagem
» Não use luvas rasgadas ou furadas

Calçados de segurança

Quem usa?
Todos os trabalhadores, de acordo com o tipo de atividade executada.

Para que servem?
Para proteger os pés contra riscos de origem mecânica, térmica, de perfurações etc.

Como escolher?
Confeccionados em couro, os calçados de segurança podem ser do tipo bota, botina ou tênis (com cadarço). Distinguem- se principalmente entre aqueles com biqueira (de aço ou polipropileno e aqueles sem biqueira (indicados para uso por eletricistas). O solado pode ser de borracha, poliuretano ou látex, porém, deve ser antiderrapante.

Dicas de uso
» O ajuste perfeito é fundamental para o conforto do trabalhador. Portanto, nada de tentar utilizar um número diferente do real!

Cinturão de segurança tipo paraquedista

Quem usa? 
Todos os trabalhadores durante a execução de serviços em mais de 2 m de altura.

Para que servem? 
Protege o trabalhador contra quedas, que muitas vezes podem ser fatais.

Como escolher?
Confeccionados em couro ou náilon, esses cintos possuem argolas que se engancham em um cabo preso à estrutura da construção. Esse EPI deve proporcionar ao mesmo tempo leveza e alta resistência em situações que incluem detenção de queda, posicionamento no trabalho, subida e descida em escadas, salvamento/ resgate, entre outras. É importante que o fabricante desse equipamento forneça manual de utilização em português.

Dicas de uso
» O cinto de segurança deve ser dotado de dispositivo trava-quedas e estar ligado ao cabo de segurança independente da estrutura do andaime
» Os cintos têm resistência aprovada para um limite de peso. Embora esse teto seja normalmente alto, é bom ficar de olho para respeitar essa condição.

Acesse o nosso site e fique por dentro dos equipamentos de Proteção Individual que nos temos:

http://www.artesana.com.br/equipamentos/epi

 

Quer saber mais sobre equipamentos de proteção? Confira outros artigos em nosso blog:

  • Como minimizar desconfortos causados por EPIs

http://migre.me/sDduM

  • Ministério do Trabalho e Emprego atualiza normas técnicas aplicáveis a EPIs

http://migre.me/sDdwF

 

Equipamentos_de_Protecao(4)

Fonte: Equipe da obra
Reportagem: Juliana Nakamura