Arquivo de tag parede

porblogartesana

Estamos de cara nova !

Fundada em setembro de 1985, a Artesana é reconhecida – hoje – pela qualidade, competitividade, e excelência em prestação de serviços e distribuição de divisórias, forros, pisos, revestimentos, paredes drywall, acústica e seus acessórios para clientes de todo o País.

Princípios básicos de sua atuação no ramo de construção seca: respeito e a dedicação aos seus clientes, parceiros e colaboradores. Com isso, busca atingir seus objetivos de negócio, manter um crescimento sustentado e uma filosofia apoiada na qualidade de seus profissionais, materiais, tecnologia e serviços.

Pensando em modernizar e aprimorar o atendimento a nossos clientes a Artesana lançou esta semana o novo site que dispõe de atendimento online, versão mobile e entre outras novidades!

Caso já possua cadastro em nosso site siga os seguintes passos:

1º Passo:

Acesse o site com seu login e senha atual, irá aparecer na tela uma mensagem de ‘SENHA INVÁLIDA’;

2º Passo:

Após aparecer a mensagem de ‘SENHA INVÁLIDA’m insira novamente sua senha e clique em ‘REALIZAR LOGIN’ seu cadastro será automaticamente recadastrado.

Venham conferir as mudanças:

Novo site Artesana

 

porblogartesana

Campanha Aniversário Campeão! A gente comemora e você economiza!

É com muita satisfação que compartilhamos com você, a nossa felicidade por completarmos 30 anos de história. Para comemorar esta data entre o mês setembro a novembro,  iremos promover o maior oferta em 30 anos. Confira os itens em OFERTA:

– Sistema Drywall;

-Sistema Naval;

– Sistema de Forro Modulado.

 

Acesse nosso site:

www.artesana.com.br 

 

porblogartesana

Curso Inspeção Predial – Casos práticos (Instituto Pini)

Em um mercado competitivo e cheio de novos desafios, que tal estar aberto para novos projetos? O Instituto Pini, abriu esta semana as inscrições para o curso de Inspeção Predial com o foco em casos práticos.

O objetivo do curso é atender os casos práticos sobre como resolver problemas em condomínios residenciais e comerciais, além de apresentar procedimentos teóricos e práticos da Inspeção Predial.

O curso é destinado para profissionais que atuam como: Engenheiros, Arquitetos, Síndicos, Gestores Prediais e profissionais em geral envolvidos com a Manutenção Predial ou até mesmo para aqueles profissionais que desejam atualizar-se e que tenham diretamente ou indiretamente interesse em atuar na área.

Conteúdo programático

? A importância da Manutenção Predial;
? Objetivo da Inspeção Predial;
? Laudo;
? Exemplos práticos e seus sistemas construtivos;
? Menção às normas da ABNT;
? Vida Útil de Projeto (VUP);
? Plano de Manutenção Integrada;
? Classificação da qualidade de manutenção;
? Estado de conservação da edificação;
? Classificação do nível de Inspeção Predial;
? Definição do nível de criticidade.

Data e horário

27 e 28 de agosto de 2015.
09h00 às 18h00 – carga horária de 16h

Formas de participação.

  • Presencial:

Av. Francisco Matarazzo, 74 – 2o Andar – (Metrô Barra Funda), São Paulo-SP

  • Ao vivo pela web:

Para mais informações sobre taxa de inscrição e valores, basta acessar o link:

http://institutopini.pini.com.br/seminarios/cursos/inspecao-predial-casos-praticos-337877-1.asp

 

#Fica a dica:

A Artesana Divisórias e Forros possui diversos produtos para Construção a Seco !

Acesse nosso site e fique por dentro das novidades:

Site: www.artesana.com.br

Facebook: https://www.facebook.com/artesana.divisorias.forros

YouTube: http://www.youtube.com/user/ArtesanaTV

Twitter: http://twitter.com/_artesana

porblogartesana

Drywall completa 45 anos no mercado brasileiro

Oriundo da chamada Sackett Board, uma chapa composta por três camadas finas de gesso intercaladas com folhas de feltro, apenas mais tarde ganhou a configuração atual com um miolo único. Ao incluir o cartão às placas uma nova característica fora incorporada junto resistência à compressão do gesso, a resistência à tração proporcionada pelo cartão. Assim, o Drywall tornou-se uma solução na substituição ideal para o sistema de madeira, totalmente inflamável, utilizado até então amplamente na construção norte-americana. Evitando que tragédias como o incêndio ocorrido em Chicago, em 1871, cuja área central da cidade fora reduzida a cinzas, deixando pelo menos 300 mortas e mais de 100 mil pessoas desabrigadas.

 

No Brasil

Em 1970 o sistema Drywall enfim chega ao Brasil, trazida pelo médico Roberto de Campos Guimarães, fundador da Gypsum do Nordeste em Petrolina (PE), tornando-a primeira fábrica das chapas de gesso em território nacional. E assim, deu-se origem ao uso do sistema na construção civil brasileira. Inicialmente empregada apenas em paredes internas, o Drywall passou a ser utilizado em várias edificações, como o conjunto habitacional Zezinho Magalhães Prado, construído em Guarulhos, projetado por três expoentes da arquitetura de São Paulo: João Batista Vilanova Artigas, Fábio Penteado e Paulo Mendes da Rocha.

No entanto, os resultados obtidos quantativamente não foram como o esperado, levando a fábrica a enfrentar dificuldades financeiras. Em 1995, os problemas financeiros foram sanados quando o grupo francês Lafarge adquiriu a Gypsum do Nordeste. Em seguida chegaram a BPB Placo (joint-venture anglo-chilena) e a Knauf do Brasil (do grupo alemão Knauf), fechando os anos 2000 com 3 fábricas de chapas e outros componentes para a tecnologia drywall em solo nacional. Diversas mudanças ocorreram no seguimento no início do século 21, a BPB Placo passa a pertencer ao grupo francês Saint-Gobain e a Lafarge Gypsum foi adquirida pelo grupo belga Etex. Mas, foi apenas em 2010 que se inaugurou a primeira fábrica do segmento com capital nacional, a Trevo do Nordeste.

Com a difusão deste novo sistema construtivo, as 3 empresas pioneiras no segmento – Gypsum Drywall (antiga Lafarge Gypsum), a Placo do Brasil (antiga BPB Placo) e a Knauf – sentiram na necessidade de fazer com que o sistema drywall fosse aplicado de acordo com os mesmos rigorosos adotados no exterior, para assegurar a obtenção dos melhores resultados principalmente em termos de desempenho. Assim, surge a Associação Brasileira do Drywall, responsável pela difusão de conhecimento sobre o drywall, atingindo todos os públicos envolvidos no seu uso, como incorporadores, construtores, engenheiros, arquitetos, designers de interiores, montadores do sistema, técnicos em edificações e profissionais de assistência técnica. Hoje, esta associação que reúne não só fabricantes de chapas, mas também dos demais componentes do sistema, passa ser a principal fonte de referência do país quanto aos padrões de qualidade de projeto e de execução dos sistemas drywall utilizados em paredes, revestimentos, forros e mobiliário fixo.

O Drywall ganhou tanta força no país que hoje é única tecnologia construtiva em uso no país coberta por um conjunto tão abrangente de normas, suprindo todas as necessidades básicas do mercado.

porblogartesana

Como posso instalar drywall em parede de cimento

Veja passo a passo de como executar revestimento de drywall sobre alvenaria (paredes de cimento).

A colagem de chapas dispensa o uso de taliscas e metras além de eliminar as etapas de chapisco, emboço e reboco, substituindo os sistemas tradicionais de revestimento argamassado. No entanto esta técnica é restrita a ambientes internas, podemos ser aplicada sobre alvenaria, blocos cerâmicos ou de concretos e pilares.

Apesar de ser uma aplicação rápida e fácil, a técnica requer alguns cuidados. Antes de iniciar a aplicação, certifique-se que as vedações, instalações, fachadas e contrapiso estejam finalizadas. As áreas que receberão o revestimento devem estar secas e limpas e para áreas com estrutura em concreto devem estar com chapisco rolado.

Outras etapas que se deve atenção são as de preparação e aplicação da cola. É necessário atingir o ponto correto da massa e distribuir os pelotes de cola por todo o verso da chapa. Em cômodos pequenos, é possível aplicá-los diretamente na alvenaria. Nesse caso, o ideal é umedecer a superfície antes de aplicar a cola. O consumo médio de cola é de 2,5 kg por 0,50 m2 de chapa (ou superfície).

Veja o passo a passo de como é realizada a técnica de aplicação de revestimento de drywall sobre alvenaria.

Ferramentas e EPIs necessários:

  • Esquadro,
  • Régua,
  • Trena,
  • Laser Multidirecional,
  • Lápis,
  • Giz de Linha,
  • Plaina,
  • Espátula,
  • Serrote de Ponta,
  • Nível de Bolha,
  • Prumo de Face,
  • Balde,
  • Furadeira,
  • Desempenadeira,
  • Estilete,
  • Luvas,
  • Óculos,
  • Capacete e
  • Máscara.

Passo 1 – Verifique as condições da alvenaria a ser revestida ecom o auxílio de uma trena, busque o ponto crítico da parede (onde a superfície está sobressaltada).

Passo 2 – Utilize uma régua e o nível a laser e transfira o ponto crítico para o piso.

Passo 3 – Determine o ponto de colagem da chapa deixando uma folga de 1,75 cm a partir do ponto crítico da parede.

Passo 4 – Confira o esquadro em todos os cantos do ambiente.

Passo 5 – Marque a medida da espessura de 1,75 cm no piso, com um pedaço de chapa de gesso.

Passo 6 – Com o giz de linha, no piso, trace o alinhamento da colagem da face da chapa sobre a alvenaria.

Passo 7 –Faça o mesmo na laje.

Passo 8 – Prepare a cola seguindo as orientações dadas pelo fabricanteutilizando um misturador no preparo.

Passo 9 –A cola deve ficar fluida, mas sem cair da desempenadeira.

Passo 10 –Marque o verso da chapa de gesso com os pontos que deverão receber os pelotes de cola.

Passo 11 – Aplique os pelotes a 10 cm das bordas da chapa, totalizando de quatro pelotes no sentido da largura da chapa e alinhados a cada 40 cm no mesmo sentido.

ATENÇÃO: os pelotes devem ter 10 cm de diâmetro e 5 cm de altura.

Passo 12 –Com o auxilio de calços, afaste a chapa a 1 cm do piso.

Passo 13 –Comece o serviço pelos cantos do cômodo. Posicione a chapa sobre as marcações fixando-a na alvenaria, encostando-a na laje superior ou no nível do forro.

Passo 14 – Pressione a chapa contra a alvenaria de suporte até atingir a marcação pré-realizada.

Passo 15 – Verifique o prumo e o alinhamento com a régua, prumo de face ou nível de bolha.

Passo 16 – Nos ângulos externos e internos verifique o esquadro entre as chapas

Passo 17 –Antes de iniciar o tratamento das juntas espere uma hora e meia. Depois polvilhe o pó na quantidade indicada, aguardando que absorva a água. Em seguida, bata a massa mecanicamente ou manualmente.

Passo 18 –Faça o tratamento das juntas.

Passo 19 – Finalize o serviço preenchendo o espaçamento entre a chapa e o piso com argamassa colante