Arquivo de tag tratamento acústico

porblogartesana

Saiba mais sobre Lã de Pet

Por Marketing Artesana

Não é novidade que a construção a seco é sem dúvida a solução mais em viável e sustentável para o meio ambiente. A Artesana em seus 30 anos de mercado mantem a preocupação de fornecer ao mercado soluções construtivas com grande desempenho acústico e que não prejudiquem o meio ambiente.

Pensando nisso, adicionamos em nosso portfólio de produtos a  Lã de PET ISOSOFT® WALL que pertence a família ISOSOFT da Trisoft, desenvolvida especialmente para isolamento térmico e isolamento acústico em sistemas drywall de paredes com placas de gesso / cimentícia e construções a seco em steel frame e wood frame. É ecologicamente correta, reciclada e totalmente reciclável. Isola os ruídos entre os ambientes internos e proporciona melhor conforto térmico entre unidades residenciais e comerciais.

Características da lã de Pet

  • Lã de Poliéster Tereftalato  (PET);
  • Propriedade térmica e acústica;
  • Produto extremamente leve;
  • Não possui adição de resinas em sua composição;
  • Agradável ao toque;
  • Anti mofo, não prolifera fungos e bactérias;
  • Produto reciclado e reciclável;
  • Resistente a umidade;
  • Sustentável – a cada m2 de lã de pet Isosoft consome aproximadamente 30 a 50 garrafas pet;
  • Classificação IIA – Norma NBR IT10 do Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo;
  • Fácil aplicação em sistemas de construção a seco;
  • Alta resistência mecânica;
  • Não decanta com a vibração das estruturas;
  • Não empena ou deforma com o passar do tempo;

Dados técnicos sobre performance acústica:

A Lã de Pet deve ser aplicada de modo que que preencha totalmente o vão da parede. O Isolamento dos ruídos entre ambientes é perfeito, podendo inclusive superar o desempenho da construção tradicional, conforme ilustrado abaixo:

Performance

08

Orientações de instalação:

  1. Fixar os perfis metálicos no piso e no teto. As barras verticais devem ser fixadas  sempre conforme orientação técnica do fornecedor do sistema de paredes de drywall. Colocar e fixar em um dos lados as placas de gesso acartonado.

02

     2. Estender a Lã de PET ISOSOFT Wall começando pelo teto acomodando as bordas de modo que fiquem encaixadas     nos perfis laterais.

03

3. Para o correto encaixe e desempenho acústico, é indicado utilizar a Lã de PET ISOSOFT WALL na mesma espessura dos montantes metálicos.

04

4. Instalar as placas de gesso fechando a parede de maneira que as junções das placas fiquem desencontradas entre um lado da parede e o outro.

05

Agora você deve estar se perguntando,  e qual a vantagem de usar a Lã de Pet? Ao invés da lã de vidro ou rocha? Simples ao comparar esses três tipos de produtos, fique atento ao resultado de cada um, pois o que importa não é somente a densidade, mas a performance e os coeficientes de absorção acústica e resistência térmica.

Devido à matéria-prima principal ser rocha e vidro, essas mantas são muito mais pesadas do que a de pet. A densidade é o peso por m³ e elas são duas a três a vezes mais densas/pesadas do que a Lã de Pet ISOSOFT. Portanto, compare sempre a performance.

ISOSOFT proporciona excelentes resultados de isolamento térmico e isolamento acústico, é muito mais leve e reduz os custos de transporte, pois pode ser compactado sem perder suas características originais, pois tem alto índice de resiliência.

Por ser hipoalergênico, diminui o tempo de aplicação e o custo com EPI´s, deixando a obra mais limpa, mais rápida e mais barata. O instalador trabalha muito mais confortável e sem riscos à saúde, evitando também ações trabalhistas por insalubridade, além de garantir a qualidade de vida dos futuros ocupantes do imóvel.

Quer conhecer saber mais sobre como adquirir este produto? Entre em contato com a nossa equipe comercial ou acesse nosso site: www.artesana.com.br

Até a próxima !

Fonte:
http://www.trisoft.com.br/blog/
porblogartesana

Curso de Acústica Arquitetônica e Urbana: Teatros, Auditórios e Igrejas – São Paulo

Para realizar projeto Acústico Arquitetônico e Urbano de qualidade é necessário conhecer questões relativas às exigências humanas e funcionais, às principais unidades e grandezas acústicas, aos aspectos da implantação/orientação dos edifícios e aberturas, características do entorno, características físicas dos ambientes internos, e métodos de dimensionamento e avaliação do desempenho acústico.

Aprendendo os principais conceitos referentes à acústica arquitetônica e urbana e as especificidades de cada tipo arquitetônico, aliados aos conceitos, técnicas, tecnologias e uso de software adequados a cada projeto, com ênfase em projetos de teatros, auditórios, cinemas, estúdios de gravação, igrejas e salas de espetáculo, inclusive mediante realização de exercícios práticos e visitas técnicas guiadas, o participante estará apto a realizar projetos arquitetônicos com segurança e qualidade atendendo a todas normas vigentes.

Data: de 30 de julho a 05 de agosto

Horário: 08h30 às 18h00

Local: UNISESCON

Clique para mais informações

porblogartesana

Artigo: Certificação profissional é muito mais que um diferencial

Confira o artigo da arq. Débora Barretto, conceituada arquiteta soteropolitana especializada em acústica e parceira da Artesana, extraído da 10ª Edição do InfoAudium.

 A Sociedade Brasileira de Acústica – SOBRAC divulgou em 2014 os nomes dos primeiros profissionais brasileiros certificados pelo Programa de Qualificação e Certificação de Profissionais da instituição. Sim, esta é a primeira iniciativa brasileira do mercado de acústica a acreditar o trabalho de engenheiros, arquitetos e físicos em todo o país, comprovando a capacidade técnica, experiência de mercado, além da produção científica desses profissionais.

Eu tenho a honra de fazer parte desse primeiro grupo e considero esta uma ação vitoriosa em diversos aspectos. A acústica é uma especialidade relativamente nova e ainda desconhecida por grande parte da população brasileira. A tendência é de uma profissionalização cada vez maior do setor, principalmente tendo em vista a grande demanda por qualidade de vida em todos os aspectos. Neste sentido, a certificação é a comprovação do comprometimento de alguns profissionais por tornar o setor ainda mais transparente e eficiente.

Mas vale explicar algumas coisas pra quem ainda não conhece o processo. A Certificação Profissional em Acústica e Vibrações foi criada pela Sobrac para atender a uma necessidade do mercado de ter um referencial que ateste a qualidade dos profissionais em sua área de atuação. Outro objetivo da certificação é pautar o desenvolvimento das competências necessárias para o exercício da profissão de maneira contínua, acompanhando a evolução dos mercados nacional e internacional, ou seja, a certificação deverá ser renovada a cada período, o que estimula o profissional a estar sempre atualizado, caso contrário perderá o selo.

De todos os profissionais inscritos no processo de certificação iniciado em outubro de 2013, foram certificados em março e receberam em julho no Congresso da Sobrac o documento comprobatório com seu devido selo com numeração exclusiva. Existem 3 níveis de certificação e alguns profissionais conseguiram certificação no mais alto padrão – Nível 1. Neste grupo de certificados, sou a única profissional do Nordeste.

Para mim, o investimento na certificação serve para que eu tenha as minhas habilidades e conhecimentos validados. Acredito que este é um diferencial tanto para os profissionais quanto para as empresas onde atuam, pois ao conquistar a certificação, agregamos uma distinção de qualidade ao nosso currículo, alavancando a nossa carreira.

Este é um passo importante também para a Sobrac, instituição da qual era conselheira na época e agora assumi o cargo de vice-presidente. A Sociedade Brasileira de Acústica foi fundada em 1984 e hoje agrega pesquisadores, profissionais e estudantes, além de empresas como indústrias, prestadores de serviços, órgãos governamentais e representantes de instituições acadêmicas, todos atuando em prol da melhoria da qualidade de vida dos brasileiros através de ações de divulgação da importância da acústica.

São realizados anualmente eventos técnicos e científicos e encontros. A Sobrac mantém também participação ativa em grupos de discussão e de tomada de decisões em órgãos públicos, instituições privadas e da ABNT, além de ser membro do I-INCE (International Institute of Noise Control Engineering), do IIAV (International Institute of Acoustics and Vibration), do ICA (International Comission of Acoustics) e da FIA (Federação Iberoamericana de Acústica) esta última na qualidade de sócio fundador. A regional Nordeste da Sobrac acaba de ser eleita e, sob a coordenação do M.Sc. Arqº Danilo Fortuna promete divulgar a acústica em nossa região. O primeiro evento dessa regional já está marcado para dia 07/07 em Maceió.

Apesar de todos esses investimentos e crescimento contínuo do setor, ainda é constante nos depararmoscom profissionais e empresas apenas interessados na venda e instalação de materiais, sem a preocupação com especificações calculadas e apropriadas. Por isso, é importante divulgar para todos os consumidores, sejam pessoa física ou jurídica, a importância da escolha de empresas que pensem a acústica com engenharia obtendo soluções otimizadas e personalizadas, sem vinculo com marca alguma. Mas o que isso quer dizer? Como comparar serviços? Onde averiguar o resultado?

Essas são perguntas constantes. Dúvidas que chegam até mesmo de profissionais arquitetos e engenheiros renomados. A certificação é um dos fatores para a escolha. A qualidade dos trabalhos apresentados é outro fator. E, lógico, a indicação de quem já trabalhou com a empresa. Eu costumo informar aos meus clientes que seja observada a união entre técnica e estética dos ambientes como tratamento acústico. Afinal de contas, a arquitetura é a arte de criar ambientes que sejam viáveis funcionalmente e esteticamente. A acústica valoriza o projeto arquitetônico e contribui tanto para o uso do espaço, como na sua contemplação.

Débora Barretto
Especialista em Acústica nas Construções pela UPM (Espanha);
Mestre em Engenharia Ambiental Urbana na Área de Poluição Sonora pela UFBA;
Compõe o Comitê técnico de Estudos de Acústica da ABNT ;
Diretoria do Núcleo de Acústica da AUDIUM.

porblogartesana

Afinal, qual a diferença entre CAC, NRC e SRA?

Escolher um forro mineral pode ser uma decisão difícil se você não houver uma boa orientação, são tantas as dúvidas e siglas, que muitas vezes pode gerar dúvidas.

CAC – Coeficiente de Isolamento Acústico

É o coeficiente que classifica a eficiência do forro em barrar (bloquear) o som com a finalidade de privacidade entre as áreas adjacentes que compartilhem o mesmo plenum, isto é, ele barra o som transmitido pelo ar.

Este valor é importante quando se tratado de escritórios fechados, salas de conferencia, escritórios de desenho misto (aberto e fechado), salas de aula, consultórios e salas de exames.

 

NRC – Coeficiente de Absorção Sonora

Já o NRC, mede a porcentagem da quantidade de ruído é absorvido pela superfície de um ambiente representando a média aritmética dos valores obtidos nas frequências de 250, 500, 1.000 e 2.000Hz. É a capacidade do forro tem de impregnar-se com som, absorvendo-o.

Este valor é importante quando refere-se à escritórios fechados, salas de conferencias, escritórios mistos (averto e fechado), corredores, áreas de trabalho, salas de aula, ginásios, lanchonetes, recepções, salas de exames, escritórios médicos, lojas, etc.

 

SRA – Índice de Absorção da Fala

Avalia o percentual da quantidade de ruído proveniente da fala é absorvido pelo forro, considerando a média aritmética dos valores obtidos nas frequências de 500 a 4000 Hz. É similar ao NRC, no entanto, os resultados não serão os mesmos uma vez que o NRC avalia a absorção de todos os tipos de ruído. Este coeficiente é muito utilizado nos países da Europa.

porblogartesana

Você sabe o que é reverberação?

A reverberação é um fenômeno onde há um prolongamento do som mesmo depois que a sua emissão é interrompida, ou seja, o som permanece no ambiente depois de emitido. Isto ocorre devido à reflexão do som nas paredes e outros objetos que compõem o ambiente. De maneira simplificada podemos ilustrar a reverberação da seguinte maneira: você esta em um ambiente, seja um banheiro ou uma sala vazia, e no momento em que você fala, tem a sensação desagradável de estar ouvindo a sua própria voz como um retorno.

O que diferencia este fenômeno do eco é relação do espaço de tempo no qual o som é emitido e percebido pelo nosso ouvido. O eco ocorre quando este espaço é atemporal e na reverberação a diferença entre os instantes deve ocorrer em menos de 0,1 segundo. Esta pequena diferença entre o momento em que o som é transmitido e o momento em que é percebido o que nos dá a sensação de prolongamento do som.

Além do desconforto que sentimos com o retorno de nossa própria voz, a reverberação em excesso pode comprometer a compreensão da fala podendo torná-la ininteligível. No entanto este fenômeno pode ser aplicado a música com a finalidade de tornar o som mais natural, tornando-se um objeto para criar ambiência ou profundidade de som.

Para acabar com este problema devemos realizar um tratamento acústico no ambiente. Esse tratamento é realizado por meio de materiais capazes de absorver e redimensionar ondas sonoras, gerando conforto acústico. O projeto acústico deve sempre ser idealizado e executado por profissionais especializados assegurando um resultado final de qualidade.

Tudo o que você precisa para tratamento acústico você encontra na Artesana. Clique aqui e confira!